Tomada de Decisão, Impulsividade, Comportamento de Risco no Trânsito: um estudo comparativo entre motoristas infratores e não infratores da cidade de Porto Alegre PDF Print E-mail
Written by Graciela Pasa   
There are no translations available.

Natureza do Projeto:  Mestrado Ciências Médicas - Psiquiatria (Projeto aprovado em Comitê de Ética do HCPA – GPPG N.11-0036)

Pesquisadores: Graciela Gema Pasa (Mestranda), Flavio Pechansky (Orientador)

Período de Execução: Março de 2011 a Março de 2012

 

Objetivo:

Comparar as diferenças em uma amostra de motoristas infratores e não infratores da cidade de Porto Alegre no que tange a:

a)       Tomada de decisão;

b)      Componentes/indicadores de impulsividade; e

c)       Comportamento de risco no trânsito, baseando-se nas hipóteses previamente enunciadas.

 

Método

Delineamento: O estudo apresentará delineamento do tipo caso-controle. Os participantes serão selecionados a partir da técnica de amostragem não aleatória de conveniência.

Os principais fatores em estudo serão: a tomada de decisão, a impulsividade e os comportamentos de risco no trânsito. Os desfechos principais serão o desempenho na tarefa Iowa Gambling Task (predominância de escolhas vantajosas ou desvantajosas), os índices de impulsividade e aspectos do comportamento do motorista, como: erros, violações agressivas e violações da legislação do trânsito, avaliados através dos instrumentos: Escala de Impulsividade de Barrat (BIS-11) e Questionário do Comportamento do Motorista (QCM), respectivamente.

 

Amostra: A amostra será composta por 200 sujeitos da população de Porto Alegre distribuídos em dois grupos: a) 100 motoristas infratores que estiverem realizando o Curso de Reciclagem para Condutores Infratores (casos); b) 100 motoristas que estiverem participando do processo de renovação da CNH sem histórico de infrações no trânsito (controles). Os participantes serão selecionados em Centros de Formação de Condutores (CFCs) da cidade de Porto Alegre. Os participantes serão pareados conforme os seguintes critérios: sexo, idade, escolaridade (Ensino Fundamental, Ensino Médio e Ensino Superior). Também será considerado o tempo (em anos) de direção, formando-se blocos de: 1 a 5 anos; 5 a 10 anos; 15 a 20 anos; 20 a 25 anos; mais de 25 anos.

 

Instrumentos:

  • Questionário sociodemográfico: Questionário padronizado já utilizado previamente em estudos do CPAD.
  • IGT (Iowa Gambling Task): tarefa neuropsicológica para avaliar a função executiva tomada de decisão.
  • BIS-11: escala auto-aplicável para avaliar componentes da Impulsividade. Desenvolvida por Barrat e adaptada e validada para o contexto brasileiro por Malloy-Diniz (2010).
  • QCM (Questionário do Comportamento do Motorista): instrumento auto-aplicável para avaliar aspectos do comportamento do motorista, como: erros, violações agressivas e violações da legislação do trânsito. Desenvolvido pelo grupo de pesquisa do departamento de Psicologia da University of Manchester e adaptado e validado para a cultura brasileira por Macedo (2005).
  • MINI- Plus: entrevista diagnóstica semi-estruturada diagnostica breve compatível com os critérios derivados do DSM-IV.
  • WAIS (Cubos e Vocabulário): é um instrumento breve de avaliação de inteligência. Medidas: QI verbal, de Execução e Total.

Resultados Esperados

Pressupõem se que a tomada de decisão, a impulsividade e o comportamento de risco no trânsito diferem entre motoristas infratores e não infratores. Sugere-se que o processo decisório em motoristas infratores é prejudicado quando comparado aos não infratores. Também é esperado que motoristas infratores apresentem impulsividade mais elevada, bem como maior envolvimento em comportamentos de risco no contexto do transito quando comparados aos não infratores.

 

Autenticação